02 julho 2014

Resenha: A arte de correr na chuva, Garth Stein.

A Arte de Correr na Chuva
Livro: A arte de correr na chuva.
Editora: Ediouro
Páginas: 302
Autor: Garth Stein
"Quando Denny resolve adotar um cão para lhe servir de companhia, percebe imediatamente que o destino lhe enviou um amigo especial. O amigo de Denny - Enzo - estará com ele nos melhores e piores momentos de sua vida, pois sabe que seu dono é um vencedor. Enzo é um cão, um cão com uma alma marcada pelo tempo. Denny é um piloto de grande talento, que encontra nas pistas de corrida sua verdadeira vocação. Mas a vida pode apresentar curvas acentuadas e dificuldades a serem superadas no percurso. Um livro que tem muito a nos ensinar sobre amor, tragédia, redenção. Do jeito que só um cão poderia narrar."


Atenção: essa resenha pode conter spoilers.

Quando li esse livro, percebi que seria um livro recheado de emoção, alegria e muita felicidade. Por um lado, me enganei. Esse livro mostra bastante sofrimento por parte de Denny, dono de Enzo. Mas, o começo do livro é bem clichê, aquela coisa de adoção e tudo mais. Quando Denny adota Enzo, o livro imediatamente se enche de alegria (o que é nas primeiras páginas).

Enzo é um terrier que vive em Seattle com o dono. Denny, por sua vez é um piloto de corrida. Enzo e Denny se tornam amigos inseparáveis, por isso o cachorro acompanha toda a vida do dono. Um belo dia, Denny encontra sua alma gêmea: Eve. E Enzo estava lá no dia em que eles começaram a se conhecer, até o dia que nasce a filha do casal. 
Denny sonha em ser um piloto profissional bem sucedido, por isso o livro tem um enfoque enorme em um nome bem conhecido: Ayrton Senna. Interessante, não é?

Enzo por sua vez, foi criado assistindo a programas educativos (National Geographic) e é muito frustado por não poder conversar com os donos. Ele vê coisas, escuta coisas e se sente totalmente limitado por isso.  Enzo assiste das as corridas de fórmula 1 pela tv e leva a vida normalmente. Até que um dia... Uma fatalidade muda a vida de todos.

Enzo é um cão com alma humana. É crítico e tem a postura de quem sabe o que quer e enxerga os problemas com muita clareza. Além disso, tem uma missão muito especial: Ajudar Denny a superar as tragédias que assolaram sua vida.

Como todo fiel escudeiro, Enzo sofre pela dor dos humanos com os quais convive e com a sua própria, decorrente dos problemas de saúde que foram comprometendo sua integridade fisíca. Apesar de tudo, guarda no íntimo um grande desejo: nascer humano na sua próxima reencarnação.

Depois de todo o sofrimento, toda a dor e mágoas do livro, pude guardar uma mensagem muito significativa: de que os cachorros conseguem entender tudo que acontece ao redor dos donos. Acreditem ou não, esse livro me emocionou mais do que Marley & Eu. 
O que não gostei muito, é que o livro fala muito de fórmula 1 (e eu não entendo nada!) mas fora isso, foi perfeito. Para quem gosta do esporte, o livro fica mais perfeito ainda.

Se você está a procura de um livro emocionante, essa é a minha dica. Minha avaliação não poderia ser menos do que 5 estrelas. Afinal, cachorros estão ligados ao nosso dia-a-dia e tenho certeza de que a maioria de nós, amamos nossos cachorros.

Pude entender um pouco do que meu cachorro pensa (ou eu imagino que pensa) e tudo que ele sente. É um livro que realmente, só poderia ser contado por um cachorro. Uma história de amor fenomenal. 

MELHOR PARTE.
"Uma vez eu vi um filme. Um documentário. Na televisão, que eu costumo assistir bastante. Denny uma vez me disse para não assistir tanto. Eu vi um documentário sobre os cachorros na Mongólia. Dizia que, depois de morrerem, os cachorros voltavam como homens, mas havia outra coisa...
Sinto sua respiração quente em meu pescoço, suas mãos. Ele se inclina sobre mim, embora eu não consiga mais vê-lo; ele se inclina sobre a minha orela.
Os campos são tão amplos que eu poderia correr para sempre em uma direção e depois correr para sempre na outra, de volta. Não há fim para esses campos.
- Está tudo bem, garoto - ele fala suave, delicadamente em minha orelha.
Lembrei! O documentário dizia que, depois que o cachorro morre, sua alma é libertada para o mundo que nos cerca. Sua alma é libertada para correr o mundo, correr pelos campos, aproveitar a terra, o vento, os rios, a chuva, o sol, o...
Quando um cachorro morre, sua alma é libertada para correr até que esteja pronto para renascer. Eu lembro.
- Tudo bem.
Quando eu renascer como homem, vou encontrar Denny..."


Espero que vocês tenham gostado!
Beijos!

3 comentários:

  1. Oi Andreza

    Eu fujo de livros com animais, geralmente são muito tristes. Mas o principal motivo mesmo é que eu não curto histórias que tenham como foco, bichos. Não me anima, sabe?
    Acho cachorro fofo e tudo mais, mas não criaria.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  2. Olha só o Ayrton Senna tem prestígio no mundo todo! E u acredito que não só os cães, mas também gatos e outros animais de estimação, entendem os sentimentos humanos e sempre buscam uma forma de noa ajudar. Adorei o livro!

    O Outro Lado da Raposa/Facebook
    Twitter

    ResponderExcluir
  3. Nunca cheguei a ler livros de animais, geralmente tem fins trágicos não sei..
    Mas essa parece ser uma boa dica.
    Ótima resenha!

    Abraços
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá! Obrigada pela visita e pelo comentário.
Peço que para comentar, leiam o post e comentem sobre o assunto, afinal, esse blog foi feito para vocês.
Qualquer dúvida, entre na aba contato e mande um e-mail ou deixe um comentário.
NÃO será permitido comentários maldosos e grosseiros, já que estou aqui com a melhor intenção possível.

Fiquem a vontade para sugestões e críticas construtivas.
Abraço!